Vamos falar sobre fibras no concreto? – Parte II

Fala galera, tudo certo?! Bom, no post de hoje vou dar continuidade no assunto da semana passada. Primeiramente, comecei a falar sobre o uso de fibras no concreto. E, em seguida, sobre alguns tipos desse material existentes no mercado. Se você não viu e tem curiosidade, sugiro que clique aqui e confira! Já no artigo de hoje, vou falar um pouco sobre algumas das características do concreto que são “melhoradas”, com a adição de fibras em sua mistura.

Mais de um tipo de fibra na mistura…

Dependendo da performance requerida do concreto, é possível que se use mais de um tipo de fibra em sua mistura, de forma simultânea. Assim, diferentes características podem ser obtidas no mesmo material. Por exemplo, se você deseja melhorar a absorção de energia, pode fazer o uso de fibras longas com um alto módulo de elasticidade e melhores propriedades de aderência. Já se seu desejo é aumentar sua resistência ao fogo, pode utilizar as fibras curtas, com um baixo ponto de fusão. Agora, se você deseja obter ambas as características anteriormente citadas, e o projeto permitir (é claro!), poderá misturar ambos os tipos de fibras para fazê-lo.

A seguir, vamos listar algumas das características que podem ter seu desempenho aumentado com a adição de fibras.

Comportamento Estrutural

Como todos nós sabemos, o concreto possui uma boa resistência à compressão, porém sua resistência à flexão é baixa. Para suprir tal necessidade desse material, o mesmo recebe, convencionalmente, um reforço de aço. Com tal reforço, as cargas elevadas podem ser transferidas e distribuídas no interior do concreto. O mesmo resultado também pode ser obtido, com o uso das fibras adequadas para tal finalidade.

As fibras, dentro do concreto, atuam como uma ponte entre as fissuras, melhorando, além do desempenho pós-fissuração, também a diminuição da propagação das macrofissuras. Sendo assim, elas atravessam as fissuras e ficam ancoradas em ambos os lados da matriz do concreto, funcionando como uma costura, evitando que a fissura aumente.

Dessa forma, o concreto com reforço de fibras possui um aumento de ductilidade. Dessa forma, ele pode absorver energia mesmo depois da peça sofrer fissuração.

Resistência Mecânica

A adição de fibras ao concreto, sendo elas de aço ou sintéticas, podem proporcionar significativas melhoras na resistência ao impacto e ao choque, além da resistência nas bordas perimetrais das peças. Por exemplo, com a combinação de fibras de alto e baixo módulo e alta elasticidade na ruptura, é possível observar uma grande melhora na resistência ao impacto do concreto.

Distribuição de fissuras

Quando o concreto está em fase de endurecimento, o mesmo sofre esforços de retração, levando ao seu fissuramento. Tais fissuras podem ser consideradas como dano ao material, dependendo de suas dimensões e profundidade. A adição de fibras no concreto faz com que os esforços sejam mais bem distribuídos, de tal forma que não se forme macrofissuras no mesmo. As fibras fazem com que o volume de retração seja equilibrado pela formação de microfissuras. Sendo assim, essas não reduzem a resistência do material, significativamente.

Proteção contra fogo

Durante um incêndio, em uma estrutura de concreto convencional, a água ligada ao material química e fisicamente evapora rapidamente. Isso ocorre devido à elevação repentina da temperatura. Na transição da água para o estado gasoso, a mesma sofre um aumento muito grande em seu volume. Isto é, quanto mais densa a matriz do concreto e maior seu teor de umidade, mais elevada será a pressão do vapor. Caso tal pressão não possa ser reduzida, o concreto poderá sofrer um desplacamento. Com isso, a estrutura acaba sofrendo um grande estrago. Caso a armadura fique exposta, a mesma não estará mais protegida do fogo e sua função estrutural será, rapidamente, perdida.

Com a adição de fibras de polipropileno, o concreto em situações de incêndio tem uma considerável redução em seu desplacamento. Isso, por causa do baixo ponto de fusão do material adicionado. Ou seja, as fibras derreterão rapidamente, no início do incêndio, criando assim um sistema capilar. Através desse sistema, a água evaporada do concreto poderá se dissipar, evitando a pressão interna significativa, criada pelo vapor.

Concluindo…

Bom galera, por hoje é isso aí! Bem, se você gostou dessa postagem, compartilhe com suas redes de contato, propague a informação por aí! Afinal, sua dúvida pode ser a mesma que a de outras pessoas que você conheça. E se você ainda não é inscrito, inscreva-se no nosso Blog e receba as nossas atualizações, beleza?

Agora, se você já é inscrito e gostou ou não dessa postagem, ou tem alguma sugestão, deixe um feedback aqui embaixo. Sua opinião é muito importante para a evolução do nosso conteúdo.

Até a próxima!

Amanda Lima.

 

0 Comentários

Deixe seu comentário.