Vale a pena aprender a usar: CROSSMATTER

Fala galera, tudo certo?! Bom, no post de hoje (último do ano), vamos encerrar nossa série de artigos sobre ferramentas que vale a pena aprender (ou não), para auxiliar seus estudos! E, como o próprio título denuncia, falaremos nesse post sobre o CROSSMATTER. Então, rola essa tela para baixo e boa leitura!

Afinal, o que é o CROSSMATTER?

O CROSSMATTER é um aplicativo, que pode nos ajudar a desenvolver cálculos para estruturas hiperestáticas, aplicando o método de Cross. Trata-se de um aplicativo gratuito, que diferente dos outros apresentados nos artigos anteriores, não possui versão web e precisa ser instalado em sua máquina, para ser utilizado. Assim como no caso do XVIGAS, eu não encontrei informações sobre o autor do programa, então, se você aí do outro lado da tela souber desse dado, compartilhe aqui conosco!

Suas vantagens e desvantagens…

Bom, a primeira vantagem que posso citar aqui, é o fato do programa ser beeeeeeeeeem fácil de usar! A tela inicial dele possui todas as informações que você precisa inserir, para a realização dos cálculos. Outro ponto positivo, que não posso deixar de citar aqui, é o fato das unidades de medida aparecer junto com os números a serem inseridos. Assim, você sabe ao certo, com que tipo de unidade está trabalhando! Além disso, outra característica que acho interessante, é o fato de poder alterar a escala dos gráficos gerados, adaptando da melhor forma possível para a visualização das informações na tela.

Quanto às desvantagens, um ponto não muito legal é que o programa só gera o gráfico de esforço cortante, não mostrando o referente ao momento fletor. Outro ponto negativo é o fato de não haver a opção para inserir cargas distribuídas trapezoidais, limitando os cálculos, apenas, às cargas constantes. Além disso, tive problemas com relação à exportação de arquivos. Quando tento exportá-los, o programa simplesmente para de funcionar… Não sei se algum problema nos dois computadores que usei, ou se esse recurso do programa possui problemas… Só sei que, não consegui exportar os dados de cálculos e gráficos! Entretanto, como eu só utilizei essa ferramenta, para conferir resultados de cálculos feitos em sala de aula, não tinha uma real necessidade de exportar os arquivos. Então, para mim, é um problema que passa batido!

Botando a mão na massa!

Primeiramente, baixe o arquivo em seu computador e o instale corretamente. Depois disso, ao abri-lo, você verá a seguinte telinha:

A primeira informação, que devemos inserir, é com relação aos tramos que a nossa estrutura possuirá. Para o nosso exemplo, vamos inserir 3 tramos: o primeiro com 2 metros, o segundo com 4 metros e o terceiro, com 2 metros também. Para escolher a quantidade de tramos, basta clicar na opção “Nº de tramos” e para informar suas respectivas dimensões, basta digitar no campo “Longitud”.

Abaixo das informações sobre os tramos, tem as opções para a inserção de balanços na estrutura. Para deixar o exemplo mais interessante, vamos inserir um balanço à direita da estrutura, com 1 metro:

Agora, vamos inserir as cargas nos tramos. Para isso, clique no tramo; depois, na parte “agregar cargas”, selecione o tipo de carga a ser inserida (distribuída ou concentrada); ao lado, selecione na posição que a carga ocupará no tramo; e, por último, ponha atribua os valores das cargas e posições das mesmas na viga. Veja como ficou o nosso exemplo:

Com nossa estrutura pronta, agora, é só clicar no botão “Seguinte” para ver os resultados e gráficos. Como eu não consegui exportar o arquivo que fiz para disponibilizá-lo aqui, deixo abaixo as imagens dos resultados obtidos!

Bom galera, espero que esse artigo tenha dado uma luz aos seus estudos e, de alguma forma, agregue aos seus conhecimentos mais uma incrível ferramenta!

E por fim…

Então, aqui encerramos essa série de artigos sobre ferramentas, que podem facilitar seus estudos relacionados aos cálculos de RM, teoria das estruturas e por aí vai… De coração, espero ter ajudado, ainda que seja um único estudante, a passar por esses cálculos de forma menos dolorosa kkkkkkkkk (brincadeira, eu amo essas matérias e, inclusive foi por causa delas, na formação técnica, que eu resolvi abandonar a ideia de fazer Arquitetura e mergulhar na nossa amada Engenharia). Enfim, que essas 4 ferramentas apresentadas ao longo dessa série, inspire-o a procurar mais e mais programas e aplicativos, que lhe agreguem mais conhecimento. Afinal, conhecimento é o único bem que ninguém pode arrancar de você!

E, se você gostou do artigo e acha que essa informação pode dar uma força para algum conhecido, compartilha em suas redes sociais! Ajude nosso blog a propagar o conhecimento da nossa amada Engenharia para mais e mais pessoas! Caso queira deixar alguma crítica ou sugestão, sinta-se à vontade!

Afinal, o espaço aqui embaixo é para isso e, esse blog é tão seu quanto nosso!

Até a próxima!

Amanda Lima.

0 Comentários

Deixe seu comentário.