Por que o Gesso é utilizado na Construção Civil?

Fala galera, tudo certo?! Bom, hoje tiramos o dia para discutir sobre o gesso. Sim, ele que é um material tão conhecido e usado, em diversas aplicações ao nosso redor… Afinal, você sabe de onde vem o gesso? Sabe como ele é produzido? Sabe quais são seus principais usos, na nossa amada Construção Civil? Se você ainda não sabe a resposta, para alguma dessas perguntas acima, mas está curioso(a) para descobrir… Não deixe de rolar a tela para baixo e conferir o artigo na íntegra.

Origem e produção do Gesso…

 Galera, o Gesso, nada mais é, que um material pulverulento, branco, aglomerante aéreo (endurece na presença de ar), originado a partir da calcinação da rocha Gipsita.

Sua produção se inicia a partir da extração da gipsita da natureza e redução de suas dimensões, num processo chamado de trituração. Após isso, ela é levada a fornos rotativos com a temperatura variando de 100 a 350°C, para o processo que pode ser chamado de queima ou calcinação. Nessa etapa, a gipsita perde parte de sua água, sofrendo desidratação parcial. É a partir daí, com o desprendimento do vapor de água, que se obtém o Gesso, propriamente dito. Depois disso o material passa pela moagem fina, sendo armazenado e, posteriormente, embalado para a comercialização.

Vale ressaltar que, quando o gesso é misturado com a água, ele se torna plástico e logo depois, enrijece-se rápido, retornando a sua composição original. Tal fenômeno, nós conhecemos como PEGA, e o mesmo vem acompanhado da elevação de temperatura do material, tratando-se de uma reação exotérmica. Seu tempo de pega fica entre um intervalo de 15 a 20 minutos.

A quantidade de água e a sua temperatura influencia, diretamente, a pega do gesso. Isto é, quanto maior a temperatura da água adicionada ao material, mais rápido ocorrerá a reação entre os dois. Já a quantidade de água retarda a pega do gesso, ou seja, quanto mais água for adicionada à mistura, mais lento será o processo. Vale lembrar também que, quanto mais água colocarmos na mistura, mais poroso e menos resistente será o resultado.

Vamos falar de propriedades…

As propriedades do Gesso que vale o destaque são:

  • Isolamento térmico e acústico: ele funciona como um excelente isolante acústico, além de possuir elevada resistência ao fogo.
  • Aderência: o gesso possui uma ótima aderência a blocos, tijolos, pedras e revestimentos de argamassas. Ele pode ser aplicado direto em paredes de alvenaria, dispensando a aplicação de chapisco. Porém, pela necessidade da espessura de sua camada ser fina, isso só pode ocorrer em paredes bem regulares.
  • Possui sua resistência à compressão variando entre 10 MPa e 27MPa;
  • Sua pasta possui dureza variando de 14 MPa a 53 MPa;
  • Consumo energético baixo de produção (no máximo 350°C);
  • Baixa resistência na presença de água, razão pela qual não é recomendado seu uso em áreas externas;
  • Beleza: como resultado final, o gesso apresenta uma superfície lisa e branca, dispensando o uso de massa corrida;
  • Custo benefício: quando comparado com a aplicação de argamassa convencional mais massa corrida, seu custo se mostra bem menor. Entretanto, isso irá variar conforme a disposição de material e mão de obra da região.
  • Alta produtividade: sua aplicação e tempo de cura são mais rápidos do que das argamassas convencionais, acelerando assim a etapa de acabamentos da obra.

 

Usando o gesso na Construção Civil…

Podemos dar destaque a dois tipos de uso do gesso na construção civil: o primeiro é na fabricação de placas para fins de vedação (forros, paredes etc.); o segundo é para fins de acabamento, sendo aplicado como revestimento.

Quando falamos do uso de gesso na fabricação de placas, podemos pensar em dois tipos de produtos: as chapas de gesso acartonado e as placas de gesso propriamente ditas.

As placas de gesso acartonado, em resumo, são placas fabricadas com gesso, água e aditivos, que posteriormente, recebem uma camada de papel cartão em cada lado. Essas são usadas no sistema construtivo denominado de Drywall (construção seca, que tem como base essas placas fixadas em perfis metálicos), que começou a ser usada no Brasil a partir da segunda metade da década de 1990. A pesar de seu uso por aqui ter por volta de 2 décadas, ele ainda é tímido, se compararmos com países como os EUA, que tem por volta de 90% das paredes internas residenciais constituídas desse material.

Algumas vantagens que se pode citar do uso do sistema Drywall são: a redução de tempo na obra, o acabamento mais bonito, a otimização das instalações elétricas e hidráulicas, ótimo isolamento acústico e térmico, a redução de resíduos gerados por desperdício de material e por aí vai… A desvantagem principal que se observa é o custo aqui no Brasil, que ainda, é elevado infelizmente.

As placas de gesso são, literalmente, placas encaixadas umas nas outras, usadas na execução de forros. A principal vantagem delas, em comparação com o gesso acartonado, é o custo (bem mais barato). Entretanto, se o profissional não for muito competente, seu acabamento pode não ficar dos melhores, no quesito alinhamento. Além disso, elas são mais pesadas, exigindo mais arames de sustentação e seu processo de colocação gera muita bagunça no ambiente.

Já falando do gesso como acabamento, ele é usado como revestimento em paredes e lajes, dispensando a utilização de massa corrida e massa fina. Na parte de propriedades já foram citadas as vantagens do gesso como revestimento, então não vou entrar nesse mérito novamente, beleza?!

Concluindo…

O gesso é um material de propriedades bem interessantes, sendo usado tanto para vedação quanto para acabamento na construção civil. Vale ressaltar que, não é de hoje que a humanidade utiliza tal material na construção: há evidências de mais de 8.000 anos atrás do uso dele na elaboração de rebocos!

Apesar de algumas limitações de sua utilização, o mesmo traz muitas vantagens, que valem a pena serem exploradas dentro de uma obra…

Bom galera, por hoje é isso aí! Bem, se você gostou dessa postagem, compartilhe com suas redes de contato, propague a informação por aí! Afinal, sua dúvida pode ser a mesma que a de outras pessoas que você conheça. E se você ainda não é inscrito, inscreva-se no nosso Blog e receba as nossas atualizações, beleza?

Agora, se você já é inscrito e gostou ou não dessa postagem, ou tem alguma sugestão, deixe um feedback aqui embaixo. Sua opinião é muito importante para a evolução do nosso conteúdo.

Até a próxima!

Amanda Lima.

 

Fontes bibliográficas desse artigo:

HAGEMANN, Sabrina Elicker. Aglomerantes. Apostila de Materiais de Construção Básicos. Universidade Aberta do Brasil, Instituto Federal Sul-rio-grandense. 2. Ed. 2011. 126-127p.

NUNES, Taciana. Gesso para a Construção Civil. Disponível em:<https://engenhariacivilfsp.files.wordpress.com/2015/03/aula-07-gesso-para-construc3a7c3a3o-civil.pdf>. Acesso em 17 março 2017.

ROSSO, KetlinSchaiane. Disponível em: <http://gauchanews.com.br/artigos/utilizacao-de-gesso-na-construcao-civil/12628624>. Acesso em 17 março 2017.

 

0 Comentários

Deixe seu comentário.