Desmistificando: Tarifação de energia

Olá, meus queridos caiçaras! No post de hoje, vamos falar sobre um assunto que cada dia preocupa nós, brasileiros: Energia elétrica, mais precisamente sobre a tarifação. Entenda como é cobrada sua conta e veja como funciona as taxas de tarifação.

Entenda a tarifa…

A conta, que recebemos todo mês da concessionária, serve para garantir o fornecimento de energia e manter os custos operacionais, para fornecimento da mesma. Esses custos e investimentos são repassados ao órgão regulador e varia em cada Estado, ou seja, a tarifa de São Paulo é diferente da tarifa adotada no Amazonas, por exemplo. Bom, incluindo todos os custos necessários para compor a tarifa de energia, o valor final da energia elétrica fica:

Fonte: ANEEL - Agência Nacional de Energia Elétrica
Fonte: ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica

Afinal, como é calculado o consumo da sua casa?

Agora que você compreendeu como é determinada a tarifa, vamos ao que interessa: Como é contabilizado, isto é, o quanto você paga por mês para ter energia elétrica. A leitura é feita mensalmente nos medidores de energia, para saber o consumo em kWh. O consumo é calculado pela diferença entre a leitura do mês atual e do mês passado. O consumo é demonstrado em sua conta no campo “Demonstrativo de Consumo”.

Com isso, a sua conta é cobrada da seguinte maneira: consumo mensal, em kWh, multiplicado pela tarifa de sua região. Por exemplo, na região onde resido, a tarifa está em, aproximadamente, R$ 0,73 e multiplicando por 100kWh, a conta resultará no valor de R$ 73,00. Entendido galera?

O que são Bandeiras Tarifárias?

Creio que, esse seja o assunto mais confuso para o consumidor final. Isso porque, basicamente em 2015, as contas de energia passaram a separar o custo por bandeiras. Separado em 3 cores, as mesmas de um semáforo e indicam a condição de geração de energia:

  • Bandeira verde: condições favoráveis, sem acréscimo;
  • Bandeira amarela: condições menos favoráveis, acréscimo de R$ 0,015 para cada kWh.
  • Bandeira vermelha – Patamar 1: maior custo para geração, acréscimo de R$ 0,030 para cada kWh.
  • Bandeira vermelha – Patamar 2: custo elevado para geração, acréscimo de R$ 0,045 para cada kWh.

O sistema de bandeiras é aplicado, praticamente, em todos os Estados do país, com exceção de Roraima, pois não está no SIN – Sistema Interligado Nacional. Portanto, a ele não se aplica as bandeiras tarifárias.

Podemos observar que, cada dia a tarifa está mais cara e o Brasil precisa rever sua matriz energética, urgentemente, para buscar novas soluções, a fim de evitar o que ocorreu no início dos anos 2000, o famoso apagão.

Além disso, devemos ficar atentos ao consumo exagerado e desperdício de energia. Coisas simples como, diminuir o tempo no banho (chuveiro elétrico é um vilão), diminuir o tempo do ar condicionado, além de diminuir na sua conta e o peso no seu bolso, ajudará ao meio ambiente.

Quer aprender mais e ver dicas legais?

Separei um material, para você, bastante interessante para se aprofundar e entender mais como é gerada sua conta de energia, além de dicas bacanas:

Bom, eu espero que o artigo tenha lhe auxiliado! Se gostou da postagem, tem alguma dúvida ou sugestão, não deixe de comentar aqui em baixo! Terei o prazer de responder e, juntos, aprender um pouco mais sobre o quão incrível pode ser a Engenharia.

Gostou? Compartilhe e de seu feedback! Isso é fundamental para melhorarmos nosso conteúdo e produzir, ainda mais, artigos para ajudar mais e mais pessoas.

Muito obrigado e até a próxima!

Yhan Christian

0 Comentários

Deixe seu comentário.