Conheça o Ardublock e programe seu Arduino por blocos

Fala galera, beleza? No post de hoje, vamos explorar uma ferramenta, para programar o Arduino por blocos. Se você deseja ensinar Arduino para o público infantil, ou não é muito fã de ficar digitando linhas de código, acompanhe este artigo, onde vamos explorar um pouco mais a respeito do Ardublock.

O que é o Ardublock

Como o título do artigo denuncia, o Ardublock é uma ferramenta para programação gráfica, desenvolvida em Java, que podemos integrar a IDE do Arduino, facilitando sua programação. Tal maneira de programar não é novidade… O Scratch do MIT (Massachusetts Institute of Technology) é uma das principais plataformas de programação por blocos e, largamente, utilizada na educação e em cursos de programação, voltados ao público infantil.

Bom, com isso… Desenvolveram seguindo o mesmo conceito, um software que facilite a programação do Arduino e possibilite levar ao público infantil, conceitos de eletrônica e computação física.

O Ardublock conta com uma gama de funções prontas, possibilitando a aplicação em vários tipos de experimentos básicos com a placa.

Como instalar e realizar os primeiros passos?

Antes de tudo, você deverá ter a IDE do Arduino, devidamente, instalada em sua máquina. Para instalação do Ardublock, acesse o site oficial e faça o download do arquivo .jar.  Logo em seguida, localize o diretório do Arduino e acesse a pasta tools:

Obs.: Geralmente, o diretório do Arduino no Windows fica (C:/Arquivos de Programas) ou (C:/Arquivos e Programas(x86)), caso não seja um destes. Você poderá consultar o diretório, através das preferências na IDE.

Após acessar a pasta tools, crie uma pasta denominada ArduBlockTool. Por fim, dentro da pasta criada, crie outra pasta denominada tool:

Agora que criamos a pasta tools, dentro desta pasta, cole o arquivo baixado .jar. Com isso, para testar o funcionamento, abra a IDE do Arduino e o acesse. Clique no menu Ferramentas, deverá aparecer a opção Ardublock, conforme a seguir:

Obs.: Nomeie, exatamente, como no artigo. Caso você crie a pasta com a nomenclatura diferente, ou usar todas as letras maiúsculas ou minúsculas, não irá funcionar! A nomeação das pastas é, inclusive, recomendada e citada no site do desenvolvedor da aplicação.

Bom… Agora, que instalamos e vimos que o Ardublock está funcionando, vamos ao nosso primeiro exemplo.

Hora de blinkar…

Com a IDE do Arduino aberta, clique no menu Ferramentas > Ardublock. Será aberta a ferramenta para você.

Como podemos observar, existem vários blocos, que permitem programar o Arduino, sendo:

  • Blocos de controle: são os blocos com as condições: if, else, while, etc;
  • Pinos: defina se o pino é entrada ou saída, digital ou analógico;
  • Número/constante: consigo definir estados booleanos e setar variável numérica;
  • Operadores: são os operadores lógicos e relacionais;
  • Utilitários: podemos utilizar as funções de tempo (delay), Serial, entre outras.

Estas sãos as principais, o restante são referentes à alguns kits de hardware, que não iremos explorar.

Compreendendo um pouco dos blocos, vamos montar nosso blink led, seguindo o seguinte fluxograma:

Fluxograma – funcionamento

Compreendendo isso, vamos montar os blocos, sendo o bloco:

  • Sempre do (faça) – bloco de controle;
  • Seta pino digital – bloco pinos (configuro o pino 13);
  • Espere milissegundos – bloco utilitários.

Após colocar os blocos, clique em Enviar. Automaticamente, o código fonte gerado será exibido na IDE e o processo de Upload do código será iniciado.

Com o Upload concluído, o LED começará a piscar, enquanto a placa estiver energizada. Como podemos observar, construímos uma aplicação simples com Arduino, sem escrever uma linha de código, apenas com os blocos da ferramenta.

Para finalizar…

Bom galera, além do Ardublock, existem outras ferramentas de programação de blocos para Arduino, como o próprio Scratch for Arduino. Você pode decidir o que prefere: programar por blocos ou através de código fonte. Além disso, essas ferramentas tem como objetivo: Introduzir pessoas ao mundo da computação, de forma simples, e abordando pequenos projetos. Isto é, para projetos de maior complexidade, não tem jeito, o melhor a se fazer é programar mesmo. Se você conhece outras plataformas, comente aqui embaixo! Com certeza, terei o prazer de testa-la.

Gostou? Compartilhe e de seu feedback! Isso é fundamental para melhorarmos nosso conteúdo e produzir, ainda mais, artigos para ajudar mais e mais pessoas.

Muito obrigado e até a próxima!

Yhan Christian

0 Comentários

Deixe seu comentário.