Caminho do concreto.

Fala galera, beleza!? Hoje, vamos falar de concreto… Ele, que é o queridinho da construção civil! O método construtivo mais utilizado, no Brasil, tem esse material como principal componente. Mas, a pergunta que não quer calar: você sabe o caminho que ele percorre, até chegar dentro de uma obra e ser usado?

Caminho percorrido pelo concreto

Projeto:

Nessa fase, o calculista projeta a estrutura, especificando a resistência a compressão (fck) necessária e o módulo de elasticidade (E). Daí, em função da concepção estrutural, ele calcula os esforços solicitantes, dimensionando e detalhando as peças estruturais;

Laboratório:

Aqui, o laboratório de controle tecnológico dosa, experimentalmente, o concreto até chegar no traço ideal. São definidas, então, a vida útil do concreto, coesão, permeabilidade, homogeneidade e outros aspectos, se aplicável (de acordo com a obra). Os parâmetros se modificam a partir da relação água/ cimento, definição do tipo de agregado, cimento, adições e aditivos;

Usina:

Nessa fase, a usina de concreto faz um rigoroso controle dos agregados e do cimento. Esses componentes, com os demais do concreto, são misturados em silos e carregados na betoneira, de acordo com o contrato.

Laboratório da Concreteira:

A concreteira molda corpos de prova para realizar o controle da produção. Fazem isso pela necessidade de garantir a qualidade das propriedades especificadas pelo cliente;

Transporte e chegada do concreto na obra:

O caminhão-betoneira sai da Concreteira e chega até a obra. Na chegada, o responsável da central de concreto verifica e ajusta a água de amassamento perdida pela evaporação no meio do percurso. O produto tem de chegar ao local com o Slump definido;

Aceitação do concreto:

Nessa fase, o cliente molda corpos de prova para controlar o recebimento;

Concretagem:

Aqui, o concreto é finalmente utilizado! Seu lançamento, adensamento e cura precisam ser muito bem executados, para que o produto final seja de boa qualidade;

Laboratório do Cliente:

Nessa fase, o cliente leva seus corpos de prova até um laboratório, de sua escolha, para serem realizados os testes necessários. Esses CPs são armazenados em câmaras úmidas, para serem ensaiados em idades diferentes (7, 14 e 28 dias). A partir dos resultados, será avaliado se a resistência bate com o que foi pedido no contrato;

Resultado na obra:

Se o resultado do laboratório do cliente for inferior ao que se esperava, o calculista (lá da fase 1) avaliará a estrutura, retirando testemunhos para a realização de um exame mais detalhado (se houver necessidade). Na pior das situações, podem ser solicitados reforços estruturais ou, até mesmo, demolição parcial da estrutura, para evitar prováveis problemas futuros.

Bom galera, por hoje isso é tudo! Bem, se você gostou dessa postagem, compartilhe com suas redes de contato, propague a informação por aí! Afinal, sua dúvida pode ser a mesma que a de outras pessoas que você conheça. E se você ainda não é inscrito, inscreva-se no nosso Blog e receba as nossas atualizações, beleza? Agora, se você já é inscrito e gostou ou não dessa postagem, ou tem alguma sugestão, deixe um feedback aqui embaixo. Sua opinião é muito importante para a evolução do nosso conteúdo.

Até a próxima!

Amanda Lima.

 

0 Comentários

Deixe seu comentário.