Busca por clientes agita o mercado da construção

Não é de hoje que, profissionais especializados no setor de construção civil reclamam pelo baixo número de clientes que os procuram, para solicitar orçamento. E, destes, a porcentagem de quem fecha negócio está cada vez mais reduzida.

Alguns estudiosos do setor dizem, “Não basta ser um bom pedreiro. É preciso ter um bom networking!”. Mas, se o cliente primário não chega, como poderá indicar para amigos e parentes?

Por isso, a tecnologia veio para ajudar. Já existem no mercado brasileiro plataformas e aplicativos para celular em que profissionais como pedreiros, encanadores, pintores, marceneiros, etc., se cadastram e recebem solicitações de orçamentos por lá.

As métricas são muitas. Por região, por tipo de serviço, por prazo, por tipo de imóvel, entre outros. Basta o profissional se conectar à plataforma, fazer um cadastro e pronto. Fica bem mais simples, para ele conseguir clientes e muito mais ágil para o consumidor que desejar realizar o serviço.

Tive um problema sério com um pedreiro. Ele abandonou a obra no meio. Não sabia a quem recorrer. Descobri uma dessas plataformas fazendo uma busca pela internet. Lá, solicitei orçamento com tudo o que precisava, li os comentários de outros clientes e pude escolher com confiança o profissional ideal”, afirma Paulo Alexandre, gestor de empresas.

A plataforma envia o orçamento ao profissional cadastrado, por e-mail ou SMS, e ele analisa quais são os de seu interesse. Após confeccionar a proposta, é só entrar em contato com o cliente. Pronto! Suas possibilidades de aumentar a carteira de clientes sobem e seus antigos consumidores, ainda, poderão escrever recomendações sobre os seus trabalhos.

“Já escrevi a minha recomendação pelo aplicativo. Escolhi o pedreiro que tinha o maior número de contatos positivos e obras diferenciadas cadastradas lá. Mas, o importante é pesquisar bastante na ferramenta e definir com consciência”, completa Alexandre.

O número de especialistas em construção civil registrado nesse tipo de serviço ainda é pequeno, o que é uma vantagem para quem já aderiu ao projeto. Sim, a concorrência é menor, mas os clientes estão cada vez mais exigentes.

Bárbara Juneck, 41 anos, está no mercado de comunicação há 22 anos. Atuou como assessora de imprensa com clientes de médio e grande porte, atualmente, é gerente de comunicação da  AWD – Agência Way Digital e escreve artigos do para seus clientes.

 

 

 

 

 

 

0 Comentários

Deixe seu comentário.